Generalidades da vida

Compartilhar idéias, emoções, indignações, alegrias, tristezas... enfim tudo o que nos faz humanos.

15 de mar de 2011

Motoristas habilitados X condutores de veículos



A primeira vez que fiz auto-escola, era assim que se chamavam (e com hífen, antes da reforma ortográfica), lembro que havia uma enorme preocupação em perceber a maturidade das pessoas que receberiam a Carteira, é assim que se chama em Curitiba a "carta" de SP... (só pra constar). Aliás, aqui se fala: "Tirei a Carteira de Motorista!"... Por isso não entendi na hora, quando minha prima de SP telefonou histérica berrando: "Primaaaaaaaa, recebi a cartaaaaaaaaaa!!" e eu falei: "Do Baú?", ela desligou na minha cara...


Bem, o que interessa é que essas antigas Auto-Escolas se transformaram em CFC... E não tô falando em clorofluorcarboneto que destrói a camada de ozônio (ou de osório, como diria minha vó Irene), nem significa Coritiba Football Clube, o maldito time do meu marido e CFC também não significa: "Caralho, fodeu! Correeee!!!


Centro de Formação de Condutores! Isto é o que significa a pequena sigla.


E onde vão se formar os motoristas meu Deus????


As ruas estão cheias de malditos condutores!!!!!


Quem está dirigindo esses veículos minha gente????


É um tal de andar em duas faixas, parar pro sinal amarelo no mesmo segundo em que acende... mesmo que esteja quase debaixo do mesmo (adoro falar "do mesmo" para fazer referência ao termo anterior...).


Por que cargas d'água não andam a 60km/h próximo a radares de 60km/h?? Pra quê reduzir pra 40????


Lombadas ou quebra molas, daquelas antigas mesmo, uma barriguinha no meio da rua... isso parece ser um obstáculo quase intransponível. E não tô me referindo a fusquetas, chevetes baitão, corcel II véio despedaçado. Uns carrões enoooooorrrrrmessssss, caminhonetes altíssimas que mais parecem caminhões (milha filha chama esses carros de caminhões de cidade), passam tão devagar, mas tããããããoooooo devagar que a gente tem que engatar prmeira quando sai da lombada! Se tem um carrão desse pra levar filho na escola e ir na consulta do geriátra, pelo menos tente não atrapalhar o trânsito...


A maldita seta de conversão dos carros!!!!!!!!!!!!!! POR QUE NINGUÉM USA A MALDITA SETA DE CONVERSÃO???? O que é que custa avisar que vai virar á esquerda ou á direita??? Mas avisar na hora certa e não há 10 quadras antes... e desligar a maldita seta quando desistir de realizar a manobra... Tá queimada? Sem crise, põe o lindo bracinho enfeitado pra fora e sinaliza... aprendi isso na época da Auto-Escola (pra mim autoescola junto parece batida na traseira). Ano passado, minha seta pra esquerda tava em curto e ficava acessa sem piscar. O que fazia eu, uma motorista e não uma condutora? Fazia piscar mecânicamente, com meus dedinhos, subia e descia a setinha pra fazer ela piscar... (tosco, mas fiz. Mlehor que levar buzinada)


As pessoas saem por aí conduzindo seus veículos e que se dane o mundo ao redor. Dane-se o movimento do fluxo, reduz, freia, pára, entra, sai, estaciona como se estivesse sozinho no mundo...


O sinaleiro abre e 5 segundos depois é que o infeliz do condutor vai pensar em dar movimento ao seu querido veículo... Se for automático beleza... se for câmbio manual, ah daí demora mais...


Talvez uma nova lei que exigisse exames anuais de condições de visão, reflexos e conhecimentos básicos de regras de bom relacionamento no trânsito pudesse amenizar a situação e tirar mais condutores das ruas a cada ano...


Essas provas de conhecimento das Leis de Trânsito não servem para avaliar alguém. Preferível gastar mais tempo nas ruas, treinando, praticando, aluno e instrutor, conversando sobre certo/errado, gentileza, respeito ao fluxo, velocidade máxima e mínima... é porque tem gente que anda a 40km/h em rodovia, aí não dá...


O fato que é que essas malditas CFCs estão enchendo as ruas de condutores de veículos e os pobres motoristas tem que conviver com esse novo gênero humano...


Tá triste de dirigir em Curitiba!

14 de jan de 2011

Oportunidade Divina

Impossível ficar indiferente ao noticiário sobre a tragédia que atinge o Rio de Janeiro.


Creio que essa situação deve ser encarada como um 'sacode'. Tem muita gente que fica 'encastelada' usando os óculos do comodismo, achando que isso só acontece em favelas, morros pobres e ocupações ilegais... É região serrana minha gente! Hotéis, pousadas, casas chiques, fazendas e ranchos de gente rica endinheirada... Também foram arrasadas casas pobres, simples e ribeirinhas.


Somos humanos, mortais! Nesse momento temos a oportunidade divina de praticar a SOLIDARIEDADE no mínimo orando pra essa gente superar tanta dor, tanta morta, tanta miséria.


O que mais precisa acontecer para abrir os olhos do poder público?


Esta é uma oportunidade divina de reconstruir com planejamento, de limpar com consciência ambiental. Realmente espero que a tragédia sirva de lição para todos os municípios.


Será que estamos preparados para uma situação dessas em nossa cidade?


Será que conseguiremos enfrentar uma catástrofe?


Será que existe um plano B para nós?


Será que tem alguém pensando nisso caso aconteça algo parecido num curto prazo de tempo?


Como está a logística da Defesa Civil da nossa cidade?


Tenho medo...

13 de dez de 2010

Orai pelos invejosos!

Há momentos que poderia classificar como libertadores, como quando parei de fumar...


Momentos de extrema angústia, diante de uma notícia de morte...


Momentos de euforia infantil com gritinhos e pulinhos... como quando recebi permissão para dirigir!!!



Contudo, durante o decorrer dessas últimas semanas venho sentindo momentos reveladores sobre as pessoas.

Percebi que as pessoas ambiciosas querem sempre ter algo mais do que você. Maior, melhor, mais caro, mais bonito, mais rico, mais, mais, mais... Na verdade os ambiciosos usam o sucesso dos outros como mola propulsora para seus delírios... Isso a grosso modo e resumindo. Mas vá lá... proseguindo;





O ganancioso quer ter, deseja possuir, quer tomar para sí, algo que já tem dono, já pertence a alguém. Seja um emprego, uma mulher, um cachorro, um carro, uma jóia... A ganância se promove por sí só;





Mas o invejoso, ah o invejoso... ele quer que você perca o que tem. O invejoso quer te ver sem nada, perdendo teu brio, tua corajem, teu sorriso, tua auto estima. O teu bem estar causa ira, náusea, ância e até dores no invejoso. O invejoso é aquele que rí quando sabe que uma coisa tua nao deu certo, rí quando te vê em dificuldade... mesmo que seja de ladinho meio escondidinho mas nem tanto, pois ele quer que você veja que ela ta alí rindo da sua situação...






Resolvi postar porque uma outra constatação veio junto com essa classificação. Constatei que o maior trunfo, maior belfe do invejoso é se fazer despercebido até o momento certo... e então, voilá!!! na hora certa ele começa te minar, te atucanar, te infernizar... É aterrorizante descobrir alguém assim ao seu lado. Dói o estômago.


Então é preciso reconhecer, isolar-se e vestir-se com o manto da benevolência.


Essas pessoas são pobres diabos maltrapilhos e incompetentes, que precisam de orações e de nosso mais profundo sentimento de piedade.


Orai e defendei-vos!

Bazar Espaço 8 - Edição Natal

Bazar de Natal.
Várias opções para presentes.
Espero os amigos...

16 de nov de 2010

Espaço 8 convida, sábado 20/11...

Venha curtir um sábado diferente.

Brechó, Bazar, comidinhas deliciosas, música bouuuuaaaa, precinho camarada e o melhor bate papo de Curitiba!

Vai ser muito jogar conversa fora com você!

Te espero...

12 de nov de 2010

Ânsia por mudanças



Convido á leitura do texto Revolução Silenciosa.


Encontrei uma expressão para a ânsia que sinto.


http://horadepoder.blogspot.com/2010/11/revolucao-silenciosa_11.html


Obrigada ao autor desconhecido que poderia ser qualquer um de nós...

28 de out de 2010

Bazar de Primavera


Olá amigos, vejam meu blog da Maju Brigadeiro: http://majubrigadeiro.blogspot.com/.

Nosso Bazar de Primavera foi lindo!!!

Obrigada aos amigos que nos visitaram.

Novembro tem mais!!! E com novidades, vai ter venda de garagem também... Aguardem!

21 de out de 2010

Você Me Ganhou de Presente...

Eu me dei pra você e posso 'me tomar' de volta... Be care honey, be care...

Gosto muito da letra dessa música:

Você me ganhou de presente

Com laço e etiqueta de garantia

Foi num dia de alegria

Você fez bem o gesto que eu queria

Mas não deu mole

Não deu mole

Não deu mole

Você não deu mole

...

Nunca esteve numa de me alcançar

Nem estava no 'mood' de casar

Eu sempre estive à mão, que isso me console

Mas você não

Você nao deu mole

...

Você me ganhou de presente

No laço e na promessa de guarida

Você me sorriu na galeira

E tinha bem o gosto que eu queria,

Mas não deu mole

Não deu mole

Não deu mole, meu bem

Você não deu mole

....

Nunca teve medo de me ver partir

Nem vai perder seu tempo pra me desmentir

Nem me criticar

Eu que me controle

Porque você não

Você não da mole

...

Se eu chorar, você até se comove

Mas assim já é demais

Nem eu aguento

Porque eu não dou mole

Eu não dou mole

Não dou mole, meu bem

Tambem não dou mole...

...

15 de out de 2010

Semana Pré-Bazar


Espero os amigos por lá...

O que não falei pro meu pote de melado...

Palavras são como pedras... ou munição... ou maldição...
Quando falada, impossível 'desfalar', ou 'desdizer'.
Quando pensada, fica alí, como se estivesse pronta pro disparo, engatilhada, guardada na mão, na ponta da língua.

Quando engolida, fica uma vida inteira no estômago, como um enorme alien, se mexendo e incomodando o hospedeiro.
Contudo nem só da boca se fazem palavras. Os olhos são traiçoeiros e 'dizem' muito do que se passa na alma.

Pensei em tanta coisa pra falar que acabei confusa e falei pouco, engoli muito.


Vi naquele momento uma oportunidade pra desabafar e aliviar o peso que carrego pela falta de um ouvinte, por não confiar nas pessoas... Mas era tanto pra dizer que atropelei tudo aqui dentro... Como barata no pote de melado. É tão raro encontrar um pote de melado, alguém de confiança!
O que deixei de dizer foi o que mais doeu. Fico eu aqui, com uma enorme indigestão, com essa vontade de chorar... Disfarçada de feliz no meio da multidão.

13 de out de 2010

Que tal ser bem gentil hoje?

Hoje as pessoas podiam ter um 'surto' de gentileza... Seria bem bacana!

Dizem que bocejar é contagioso. Pode até ser. Mas que utilidade tem isso pra humanidade... Bem que a gentileza podia ser contagiosa. Ao invés da estupidez e da grosseria que parecem pragas se esparramando pelos rostos e se revelando nas atitudes.

Imagine que lindo, todos sorrindo, oferendo vez na fila para uma simpática senhora, abrindo passagem pro carro que está sinalizando com a seta que deseja entrar á esquerda, ou á direita...

Ah utopia!

Mas não custa nada tentar... Então desejo que seu dia seja repleto de Gentileza!

12 de out de 2010

Presunção de Fidelidade...

De toda a dramaturgia do cotidiano, a presunção é o elemento mais perigoso.

Ao estudar muito, dedicar-se a uma profissão, presumimos que seremos bem aceitos, teremos bom emprego, bom salário e sucesso, do contrário presume-se que o fracasso é certo.

Presume-se que o namorado vai ser promovido a noivo e depois a marido. Presume-se que a moça será uma boa mãe, mesmo que ela também queira ser uma executiva de sucesso.
Presumimos que naturalmente vamos ao enterro dos nossos pais e nunca dos nossos filhos!

Contudo um dos Atos mais inquietantes está vinculado ao contrato de fidelidade que presumimos que esteja incluido no casamento/relacionamento.

É fato e é consenso que as motivações para traição entre homens e mulheres é diferente. Homens traem por vocação, por impulso, por simples atração física, por esporte... Mulheres traem por carência afetiva, carência sexual, vingança... E por ai vai.

Hoje no blog da Desintoxicada,http://comosedesintoxicardohomemerrado.blogspot.com/ tem um post bem interessante sobre traição.
Ao presumir que fidelidade seja uma representação obrigatória dentro do Ato do casamento/relacionamento, muitos casais sentem-se confortáveis dentro daquela cúpula e acabam não percebendo alguns sinais que pontuam o drama da rotina.

Fidelidade é o bem mais precioso numa relação. Amigos, amantes, filhos, sócios... Todos querem fidelidade. Entretanto, a espontaneidade é a beleza da fidelidade. Sem obrigação, sem medo, sem rancor, sem culpa, sem cobrança... com alegria, com carinho, com tesão. É o papel mais sério e mais sublime a se representar no Ato.

A traição pode ser um ato de rebeldia, de alguém que está infeliz e insatisfeito, pode causar dor, pode ter sabor de vingança... pode ser vil, má, covarde. O traído é visto como um 'pobre diabo' que foi apunhalado pelas costas, ofendido, desonrado. A traição é filha da fidelidade.
Uma breve história, adaptada, de outro blog (papodemacho.com.br) onde me inspirei também:

"Mulher casada há quase 10 anos, dois filhos, fiel e feliz. Até que um novo colega de trabalho desperta-lhe o interesse... É recíproco, ele abre o jogo. Eles passam a estar cada vez mais juntos, mais intensamente e é inevitável que se percea o quanto isso faz bem a ela. Ela deixa claro que não vai trair seu marido, pois tem obrigações conjugais, deve permanecer fiel. Ela admira o colega, ela o deseja e isso é que deixa a relação intensa. Ela jamais deixou de amar o marido, pelo contrário, aquela situação aqueceu o casamento. Mas ela deixou de viver um romance... Afastou-se do colega e seu casamento esfriou, tornou-se um fardo aquela fidelidade que ela tanto prezava..."

E ai? Ela foi fiel? Integralmente? Intensamente? Espontanemente?

Ela presumia que era fiel.